Imagem: Adobe Spark

Administração ou gestão?

Quando fiz faculdade de administração, o termo gestão era pouco utilizado, mas quando usado, era sinônimo de administração. O tempo passou e em algum momento percebi o uso constante do termo gestão enquanto administração caía em desuso. Basta dar uma olhada nas prateleiras de livrarias para perceber que gestão está em alta. É como se, ao utilizar o termo administração, você denunciasse a idade ou estivesse desalinhado com as modernas técnicas da área. Confesso que não ligo muito para isso e continuo considerando os dois termos sinônimos até alguém me convencer de que não é assim.

Uma consulta a um dicionário virtual, no caso em questão o Michaelis Online, encontrei que administração vem do latim administratĭo e significa:

1 – Ato, processo ou resultado de administrar.

2 – Ato de governar, dirigir ou gerir; governo, direção, gerência.

Segundo o mesmo Michaelis Online, gestão vem do latim gestĭo e significa:

1 – Ato de gerir ou administrar.

2 – Período em que o político fica em seu mandato.

Vejo alguns autores divergindo em relação ao uso dos termos e vou colocar aqui um posicionamento pessoal, uma opinião sem nenhuma fundamentação além de minha experiência:

Percebo que é mais uma questão de marketing, preferência e posicionamento de mercado do que de linguagem. Explico melhor…

Marketing

O mercado é dinâmico e ávido por novidades na mesma proporção que o ser humano é criativo. Ao utilizar o termo gestão no lugar de administração (ou o contrário), encontra-se solo fértil para uma corrente defender que o termo x é moderno e capaz de trazer soluções que o termo y em sua desconexão com a modernidade não permite. Isso acontece em todas as áreas. A linguagem vai mudando de acordo com o tempo.

Preferência

Nossa língua portuguesa é muito rica e num país de proporções continentais como o nosso a expressão linguística ganha particularidades de acordo com cada região e a preferência dos falantes. E assim temos mandioca, aipim e macaxeira para designar a mesma coisa. O mesmo acontece com tangerina, bergamota e mexerica. 

Posicionamento de mercado

O mercado tem se tornado cada vez mais fluido e as áreas de atuação estão com as fronteiras cada vez mais diluídas. Sendo assim, ao utilizar o termo administração pode-se dar a impressão de que seria uma prerrogativa privativa do administrador (a). Utilizar um outro termo pode ter sido uma alternativa consciente, ainda que a tarefa em si seja a mesma. 

As referências na Constituição Federal

No caso da administração pública, o termo descrito na Constituição Federal de 1988 é administração. Objetivando enriquecer o conteúdo exposto, destaco o artigo 18 da Carta Magna:

Art. 18. A organização político-administrativa da República Federativa do Brasil compreende a União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios, todos autônomos, nos termos desta Constituição.

Administração Pública Sistêmica – APS

Na minha modesta opinião, os dois termos continuam sinônimos. Entretanto, ao ser necessário dar uma identificação para a aplicação da filosofia de Bert Hellinger no trabalho ao qual me proponho, optei pelo termo administração. Considerei a utilização de Administração Pública Sistêmica – APS como uma forma de respeitar a construção da estrutura político-administrativa da Constituição Federal de 1988. Isso evidentemente, não exclui em nenhum momento a utilização do termo gestão. 

Ad minister: servir junto

Antes de finalizar, reforço que as pesquisas sobre os termos me levaram a uma página que descreve a origem das palavras e lá  está escrito exatamente assim (clique aqui se quiser ler também):

Parece estranho, mas “administrar” vem de “menos” em Latim, que se dizia MINUS. Desta palavra se fez um superlativo, MINOR, “menor”.
De MINOR se fez MINISTER, primeiramente “servo, criado, ajudante” em sentido amplo e depois “servo de Deus, sacerdote, ministro religioso”.

Um derivado muito usado é exatamente ministro. Outro é ministério.
O sentido de “alto cargo administrativo” vem de “servidor da maior figura política de um país”, seja rei ou presidente.
Para dar o sentido de “gerir uma atividade”, essa palavra se soma ao prefixo AD-, “junto”.

Logo, “administrar” dá a noção de “servir ou auxiliar junto a” (uma instituição ou organização, por exemplo).

Encerro lembrando que Bert Hellinger nos aponta o caminho para servir à vida e para esse propósito não é necessário ter diploma.